Adriano fala sobre filiação de partido e dispara ” Meu destino está com meus amigos que me acompanham na hora do sol causticante”

Publicado em 24 jul 2019 - silvano
O suplente de vereador Adriano da Vila Nova(PSB) prestou entrevista na tarde desta quarta-feira (24) ao Programa Rádio Vivo da Alto Piranhas.
Segundo Adriano, sobre uma informação de se filiar-se ao partido dos democratas de Cajazeiras, o suplente de vereador, explicou que houve um encontro com a presidente do DEM, Lea Silva e afirmou que a conversa foi relacionada a questão de grupos partidários. E com relação a filiar-se ao DEM “estamos ainda em processo de estudo”, ressaltou.
O líder comunitário destacou que apresenta uma campanha pé no chão de lutas e propostas e não tem uma mega estrutura para chegar a filiar-se ao democratas.
“Os suplentes de vereadores estão organizando a forma de um partido que dê condições de uma disputa igualitária”, enfatizou.
Adriano esclareceu que recebeu vários convites de partidos políticos entre eles do presidente do PP, PCdoB e Avante.
“Estamos conversando com os amigos da Vila Nova que são meu companheiros, meu destino está com eles que me acompanham na hora do sol causticante”.
Indagado sobre a mudança de partido como reagiria o seu aliado o deputado estadual, Jeová Campos (PSB), o suplente explicou que Jeová será ouvido sobre a decisão que Adriano irá tomar do seu pleito.
Em relação a administração do prefeito José Aldemir (PP), o líder comunitário salientou que precisa de uma melhor ação administrativa, mas dá uma nota regular pela gestão no bairro Vila Nova.
E citou setores da Vila Nova que o prefeito possa executar alguns serviços como pavimentação, saneamento básico na vila Nova III, e a concretização da tão sonhada do Ginásio Poliesportivo, obra está tão sonhada e esperada pelos moradores do bairro.

Na oportunidade, Adriano falou que a Vila Nova precisa de uma tribuna com voz para alcançar os recursos e obras que o bairro tanto precisa, trazendo entretenimento e assim tirando os jovens moradores do mundo das drogas.

Colado no Sertão