Governador afirma não saber a quem interessa dissolução da direção do PSB da Paraíba

Publicado em 19 ago 2019 - silvano

O governador da Paraíba, João Azevêdo, comentou nesta segunda-feira (19), durante solenidade realizada no Palácio da Redenção para o lançamento do Censo Demográfico de 2020, sobre a possível dissolução do diretório do PSB na Paraíba. O imbróglio todo começou quando o governador chamou o atual presidente do partido, Edvaldo Rosas, para assumir um cargo na administração estadual.

Para Azevêdo, esse não seria o motivo para gerar uma crise partidária e quem teria que dizer os reais motivos dessa querela tão grande dentro do PSB seriam aqueles que começaram o processo de disputa.

“Eu até agora não tenho a compreensão, porque a vinda de Edvaldo para o governo, de um companheiro que passou quinze anos dentro de um partido, que construiu o PSB juntamente com muita gente e alçá-lo à condição de secretário não poderia gerar uma crise”, referendou.

Pelo contrário, destacou ainda Azevêdo, que essa convocação de Rosas deveria era gerar uma expectativa maior da participação do próprio partido dentro do governo do Estado.

“Até porque eu sou do governo. Então, seria mais uma representação e isso não é uma coisa exclusiva da Paraíba. Em Pernambuco, o secretário do Desenvolvimento Humano e da Juventude é o presidente do PSB, ou seja, não há incompatibilidade e nós sabemos disso. Agora, os reais motivos, eu confesso: não sei”, enfatizou o governador