Presidente do PSB nega intervenção e diz que partido tem espaço pra Ricardo e João

Publicado em 19 ago 2019 - silvano

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira,  comentou sobre a crise instaurada no partido após nomeação de Edvaldo Rosas, que até então comandava o partido na Paraíba, para ser secretário de governo de João Azevêdo (PSB).

Ele foi destituído do cargo na última sexta-feira, 16,  por intervenção do diretório nacional.

Mas, em entrevista à Rádio Arapuan FM nesta segunda-feira (19), Siqueira negou a intervenção e disse que apenas recebeu uma lista com 51% dos filiados pedindo a saída de Rosas.

– O que eu tenho conhecimento e o que chegou para a minha mesa foi um encaminhamento de relação de assinaturas com 51% dos filiados. Esse é assunto interno da Paraíba, não acompanhei de perto. Conversei com o governador e com o ex-governador [Ricardo Coutinho]. Alguns blogs falaram em intervenção e não houve intervenção, porque não mexemos uma palha sequer pra que isso acontecesse – explicou.

Ele frisou também que não acredita em racha na legenda pois é um local que pode perfeitamente abrigar lideranças como o atual governador João Azevêdo e o ex-gestor da Paraíba, Ricardo Coutinho.

– A meu ver desconheço esse rompimento. O partido tem espaço pra ambos atuarem com mandato, sem mandato. Portanto nosso esforço será buscar uma saída de consenso – revelou.