Triunfo: Júnior Glória é investigado pela prática de Nepotismo, Contratos sem Licitação e Malversação do Erário Público, época em que foi Presidente do Legislativo de Triunfo. Confira!

 

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) está investigando o Ex-presidente da Câmara Municipal de Triunfo, Joaquim Junior Gonçalo Feitosa, o Junior Glória (PSB), por contratar a empresa do atual presidente da Câmara Dirceu Batista Macena, sem licitação ou procedimento de dispensa, para realizar “supostos serviços” de manutenção e reparo na rede de telecomunicação da câmara. Dirceu Batista é sobrinho do Vice Presidente da Câmara na época da Contratação.
Ainda, segundo a denúncia, Júnior Glória praticou também nepotismo com a contratação de um sobrinho, Ricardo Richely Feitosa Teixeira, mesmo esses trabalhando “como vendedor ambulante, de panelas de alumínio, em toda a região Norte e Nordeste do País, permanecendo a maior parte do ano fora do município de Triunfo”, portanto, funcionário fantasma.
Há ainda relatos de gastos vultuosos com aquisição de material de consumo, além de despesas pessoais irregulares.

A denuncia foi Formulada ao Tribunal de Contas do Estado e ao Ministério Público da Paraíba, pelo senhor: Geraldo Braz Pinheiro, que mais conhecido com Beneilton e foi arrolados como testemunhas, os servidores, Ananias Gonçalves Monteiro e Marcos Barbosa Bezerra ambos residentes no município de Triunfo.

De acordo com o despacho de instauração do inquérito, assinado pela promotora Flávia Cesarino de Sousa Benigno, responsável pela Promotoria de Justiça Cumulativa de São João do Rio do Peixe, a empresa “TELELIGUE” possui em seu quadro, figurando como sócio e representante, Dirceu Batista de Macena (sobrinho e aliado político do então ex vice presidente), que recebeu além de recursos pagos a “TELELIGUE” subsídios exercer cargo comissionado no Legislativo do município.

Na denuncia também se configura a solicitação de informações dos altos gastos com combustíveis, sendo gastos no ano de 2015 uma cifra de 7.435, 62 R$, sem que a câmara tivesse um só veículo e que se havia algum contrato de locação, esses não eram vistos na cidade.

Junior Gloria tem oito dias úteis para encaminhar à promotoria todas as cópias de empenhos, ordens de serviço e procedimento licitatório, caso exista. Ele, seu suposto sobrinho e a empresa de Dirceu Batista Macena, atual presidente da Câmara, figuram como investigados no inquérito que apura as suspeitas de improbidade administrativa.

Ao que tudo indica o ex-presidente do Legislativo e Pré-Candidato na Chapa da Oposição, terá nos próximos dias muito a se explicar pelas possíveis irregularidades encontradas no período em que conduziu a casa Legislativa da Terra do Menino Deus.

Outro Lado:

Nossa redação entrou em contato com Júnior Glória na manhã dessa quinta-feira (13) e o mesmo informou que até o momento não foi notificado pela Promotoria de São João do Rio do Peixe, espera a notificação para prestar os esclarecimentos pertinentes.

Por Silvano Dias